Notícias

Exoesqueleto – Paraplégico dá Chute Simbólico Copa do Mundo

Exoesqueleto – Paraplégico dá Chute Simbólico Copa do Mundo

exoesqueleto-chute-inicial-da-copa-é-de-paraplégico-Apesar dos poucos minutos que foram dispensados para um feito tão grandioso, coube na abertura da Copa do Mundo de 2014 a mensão de um equipamento que foi desenvolvido pela equipe do neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis.

O momento histórico foi na arena Corinthians no dia do primeiro jogo da Copa, entre Brasil e Croácia, 12 de junho de 2014. Juliano PInto,  tem paraplegia completa de tronco inferior e membros inferiores e foi voluntário para dar o pontapé inicial.

Um integrante do projeto "Andar de Novo", entrou com o voluntário já com o exoesqueleto, que ao dar um passo com a perna direita, movimentou a bola. Foi reservado pela FIFA apenas 29 segundos para o momento do chute inicial dado pelo jovem paraplégico, o que foi considerado  um absurdo pelo neurocientista Miguel Nicolelis, que disse ainda que "Pelo visto, a FIFA não estava preparada para filmar um experimento que vai ser histórico." Apesar de sua frustação com a falta de empenho das autoridades naquele momento, Nicoletis mostrou sua emoção ao postar em seu Twitter a frase "We did it!!!!", ou seja "conseguimos" em português.

O exoesqueleto funciona com força do pensamento, que controla diretamente o equipamento fora do corpo humano através de um princípio  chamado "interface cérebro-máquina", estudado pelo neurocientista brasileiro desde 1999.

Como funciona o exoesqueleto

Uma touca especial capta as atividades elétricas do cérebro por eletroencefalografia, que funciona através do pensamento de andar do voluntário, que é coletado pela touca e mandados para o computador fixado nas costas da roupa robótica.

O computador vai codificar a mensagem e mandar para os membros artificiais que vai caminhar. Os estudos continuam em fase de aperfeiçoamento em busca de uma opção de mobilidade para pessoas paralisadas, afirmando que "Isso é apenas para aumentar a conscientização para o fato de que temos de 20 a 25 milhões de pessoas paralisadas ao redor do mundo, e que a ciência, se devidamente financiada e apoiada, pode fazer alguma coisa. Se começarmos agora – e esse é apenas um chute incial simbólico – podemos conseguir fazer alguma coisa nos próximos anos.

Escreva seu comentário sobre  aluta pela mobilidade das pessoas paralisadas e sobre o exoesqueleto.

Comente Via FaceBook

Comentários


Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.