Televisão

Grey’s Anatomy e a vida real dos Médicos: O que é igual e diferente da série na Medicina

Grey's Anatomy e a vida real dos Médicos: O que é igual e diferente da série na Medicina

A série Grey's Anatomy começou a ser exibida ainda no ano de 2005, mas até hoje é um verdadeiro sucesso entre jovens e adultos do mundo todo. Inspirada na vida de internos de cirurgia, a produção mostra uma rotina caótica repleta de decisões difíceis e cobranças, mas você já parou para se perguntar se os médicos da vida real vivem algo parecido com o que é mostrado na série.

Para responder essa pergunta nós pedimos a opinião de alguns estudantes de Medicina e, baseados nisso, vamos esclarecer um pouco das semelhanças e diferenças existentes entre a ficção e a vida real. Confira:

Diferenças entre Grey's Anatomy e a vida real

  • O internato relatado na série, no qual os estudantes já são considerados médicos e têm uma especialidade médica definida, é bem diferente do que acontece aqui no Brasil. Ao contrário dos outros lugares, no noss país o internato representa os dois últimos anos da graduação em Medicina, período no qual os estudantes ainda não considerados alunos e apresentes sobre todas as áreas da Medicina, para depois escolherem a especialidade que desejam aprender durante a residência.
  • A vida amorosa movimentada, com affair entre internos e cirurgiões, festas e passadinha diária pelo bar próximo ao hospital. É claro que não é possível generalizar, existem realmente internos e médicos que levam um estilo de vida parecido, mas talvez isso não seja tão frequente quanto é demonstrado na série. Existem colegas de profissão que se relacionam e os médicos não são seres completamente desprovidos de vida social, mas a série dá uma exagerada na forma como isso acontece, muito provavelmente para tornar tudo mais interessante para o público.

Semelhanças entre Grey's Anatomy e a vida real

  • A pressão sofrida pelos superiores e a hierarquia muito bem definida dentro do hospital estão bem próximas da realidade dos internos, mesmo aqui no Brasil. Durante este período os estudantes de Medicina têm as suas deficiências expostas e são constantemente cobrados para que aprendam uma grande quantidade de coisas, cobrança essa que muitas vezes faz com que alguns residentes pareçam verdadeiros "nazistas".
  • Os plantões. Eles realmente existem, são exaustivos, fazem com que muitos internos pensem em desistir da carreira que escolheram, mas sempre geram uma grande sensação de realização pessoal no dia seguinte e mostram que tudo vale sim, muito a pena.
  • Os dilemas éticos são reais e dos mais complexos. Operar o estuprador? Doar o fígado do filho para o pai espancador? Interromper a gestação para tratar um câncer? Contar ao paciente que ele foi traído pela esposa? Essas e outras questões fazem parte do dia a dia de um médico, especialmente aqueles que atendem um grande volume de pacientes nos Pronto-socorros, por exemplo. Isso explica a existência de um Código de Ética Médica e muitas disciplinas que abordam as condutas que devem ser tomadas pelos profissionais médicos diante de situações de conflito ético.

Mas e você, o que achou do texto que nós preparamos? Você concorda ou discorda? Deixe o seu comentário aqui no blog Essas e Outras.

Assuntos do Artigo:
  • semelhanças e diferenças de Greys Anatomy para a vida real

Comente Via FaceBook

Comentários


Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.