Música

História do Funk no Brasil: Hits Musical“Funk Brasil–40 anos de baile”

Musical “Funk Brasil – 40 anos de baile” conta a história do Funk no Brasil. De forma cronológica, desde o início,na favela, onde o estilo nasceu, dando voz às comunidades, proseguindo e conquistando fãs em todas as classes. O Funk venceu o preconceito, e o que era restrito aos bailes e às vezes vinculados ao tráfico, hoje seus hits fazem parte até de trilha sonora de novela, o tema da “piriguete” Suelen, personagem de Ísis Valverde em “Avenida Brasil”, com a música  “Pra me provocar” do MC Koringa.

Com estréia que aconteceu no dia 09/08/2012, no Teatro Miguel Falabella, na Zona Norte do Rio de Janeiro, o musical conta a história do Funk ao som de 64 hits, o espetáculo coescrito por Pedro Monteiro — que também atua — e João Bernardo Caldeira, com direção de Joana Lebreiro, narra a trajetória do ritmo a partir dos Bailes da Pesada de Big Boy e Ademir no Canecão, no início da década de 1970, com base no livro “Batidão — Uma história do funk”, de Silvio Essinger.

O musical o “Funk Brasil – 40 anos de baile” fica em cartaz até 30 de setembro, de quinta a domingo, às 18h. Os ingressos custam R$ 30. Além de Pedro, estão no elenco Alex Gomes, Cintia Rosa, Dérik Machado, Julia Gorman e Marcelo Cavalcanti.

Confira abaixo primeiro Funk de sucesso, com letra e vídeo.

 “Sex machine” – James Brown
“Essa música é a mais famosa de todo o movimento, a que mais emplacou. Aqui no Brasil ela chegou bem na época dos bailes, era a música do momento. Tocou em rádio, ultrapassou os limites da black music para se tornar uma música pop”, explica Leandro Petersen, filho do Big Boy, um dos responsáveis pela pesquisa musical da peça e produtor da festa Soul, Baby, Soul. “As pessoas têm mania de falar que o funk tem conotação sexual e costumo citar essa música como exemplo que é uma questão muito mais de movimento. Também tinha uma coisa de mau gosto para a sociedade. É mais ou menos a mesma coisa que falar ‘ ficando atoladinha’ hoje. Só evoluiu dentro do mundo. Faz parte da questão do funk mesmo, do pobre, do excluído, que fala de conotação sexual, de violência. E esse é o primeiro funk de referência, que marcou uma geração”, afirma o herdeiro do Big Boy.

Sex Machine

Shout:Fellas, I’m ready to get up and do my thing
I wanta get into it, man, you know….
Like a, like a sex machine, man,
Movin’… doin’ it, you know
Can I count it off? (Go ahead)

Spoken: One, two, three, four!

Get up, get on up
Get up, get on up
Stay on the scene, like a sex machine

Wait a minute!
Shake your arm, then use your form
Stay on the scene like a sex machine
You got to have the feeling sure as you’re born
Get it together right on, right on.

Get up, get on up……

I said the feeling you got to get
Give me the fever in a cold sweat.
The way i like it is the way it is;
I got mine and don’t worry’ bout his

Get on up and then shake your money maker,
Shake your money maker……..

http://www.youtube.com/watch?v=ZpxcFgBjEQs

Escreva um comentário.

Comente Via FaceBook

Comentários


Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.