Livros e Literatura

Segredo – Confira o Belo Poema de Elias José

Se meu irmão me dedar

Se fizer o que está falando,

Eu bato,

Eu mato,

Eu o masco como um chiclete

E nem adianta a “mãezinha”

Entrar no meio

Também fui cretina de deixar

A porta do quarto aberta.

E não é que o bandido veio vindo,

Pé ante pé, como um assaltante…

E foi mole pro malandro

Me pegar brincando de boneca.

Se ele quiser

Em troca do segredo,

Dou todinha a minha mesada.

Se não quiser,

Se preferir me entregar

Pro namorado

Eu bato, eu mato

Faço dele picadinho!

Elias José

Comente Via FaceBook

Comentários


Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.