Saúde e Bem Estar

Tipos de Anemia: Como identificar, Sintomas, Causas, Tratamento

Tudo sobre tipos de Anemia, veja como identificar a doença, Sintomas, Causas, Tratamento

O que é anemia?

A Anemia é definida como uma redução nos níveis de hemoglobina no sangue, podendo haver também diminuição do número de hemácias e do volume dos glóbulos vermelhos. O diagnóstico é feito, na maioria dos casos, por meio de um hemograma, tendo como valores de referência os seguintes: 

Grupos por faixa etária ou sexo Hemoglobina (g/dL)
6 mese até 5 anos até 11
6 anos até 14 anos até 12
homens adultos até 13
mulheres adultas até 12

 

Sinais e Sintomas da anemia

Os sinais mais comumente associados à anemia são: palidez (mais evidente na mucosa da boca e nas conjuntivas), úlceras nos membros inferiores e esplenomegalia (aumento do tamanho do baço), icterícia (amarelamento da pele), glossite e lesão das papilas linguais (língua careca). Esses sinais são importantes não só para o disgnóstico da anemia, mas também para a determinação da  sua causa mais provável.

anemia-mulher

As anemias podem ser sintomáticas ou assintomáticas, o que depende da gravidade e também da velocidade de instalação. As agudas costumam apresentar mais sintomas, sendo os principais: tontura, fadiga, dispneia (falta de ar), taquicardia (palpitações). Já as anemias crônicas, quando sintomáticas, cursam com dispneia moderada, angina pectoris (dor na região do peito) e cansaço aos esforços.  

Causas da anemia

No que diz repeito à fisiopatologia da doença, as anemias podem ter como causa:1) falta de produção de hemoglobina; 2) excesso de destruição de hemácias; 3) perdas por hemorragias. Cada uma dessas origens será melhor caracterizada a seguir:

Falta de produção de hemoglobina: pode ocorrer em caso de falta de substratos e fatores relacionados à síntese (eritropoietina, vitamina B12, ferro, folato), falta de tecido eritropoiético (hipoplasia/aplasia de medula, leucemias e metásteases tumorais) ou doenças crônicas. Tem como característica principal a baixa contagem de reticulócitos, que indica justamente uma redução na produção de Hb.

Excesso de destruição de hemácias: ocorre em casos de defeito nos eritrócitos (doenças genéticas ou deficiências enzimáticas), ação de parasitas como no caso da Malária (Plasmódium sp. destrói eritrócitos) e destruição autoimune (ação de autoanticorpos). A característica laboratorial principal é a alta contagem de reticulócitos, o que indica uma reação do corpo na tentativa de compensar aquilo que vem sendo perdido pela destruição exagerada.

Perdas por hemorragias: ocorrem em casos de hemorragias agudas ou crônicas, que vão desde fluxo mentrual aumentado, para as mulheres, até perdas por neoplasias do trato gastrointestinal. No caso de sangramentos agudos espera-se encontrar reticulócitos aumentados enquanto nas crônicas, devido à redução das reservas de ferro, é comum serem encontrados baixos níveis de reticulóticos.

 

Tratamento da anemia

O tratamento para a anemia varia de acordo com a sua causa. Se a origem for nutricional, será realizada uma reeducação alimentar com suplementação que permita que o paciente se recupere suas reservas e trate suas deficiências. Em caso de origem genética ou congênita, podem ser necessárias transfusões sanguíneas, associadas ao uso de medicamentos. Nas anemias por perda hemorrágica será necessário investigar a causa da hemorragia e tratá-la.

Mas e você, o que achou das dicas que nós separamos? Elas te ajudaram a entender melhor o que pode causar e quais os sintomas que podem estar associados a essa patologia? Deixe o seu comentário aqui no blog Essas e Outras. 

Comente Via FaceBook

Comentários


Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.