Livros e Literatura

Tomás Antônio Gonzaga: História, Poeta do Arcadismo, Marília de Dirceu

.

.

………………Tomás Antônio Gonzaga é um dos mais famosos e proeminentes poetas do Arcadismo que ficou mundialmente conhecido pelo trabalho “Marília de Dirceu“. O poeta, jurista e ativista político luso-brasileiros nasceu em Miragaia no dia 11 de agosto de 1744 e viveu uma história de amor no mínimo triste.

………………O nome arcádico de Tomás era Dirceu e foi com esse nome que ele conquistou a fama. Filho de mãe portuguesa e pai brasileiro, Tomás perdeu a mãe ainda no primeiro ano de vida quando mudou-se para o Brasil, mais precisamente para Pernambuco. Depois pai e filho foram para a Bahia onde o jovem estudou num Colégio dos Jesuítas.

.

.

………………Anos depois Tomás Antônio voltou para Portugal onde estudou Direito na famosa Universidade de Coimbra. Em 1768 se tornou bacharel em Leis e voltando ao Brasil foi nomeado Ouvidor dos Defuntos e Ausentes da comarca de Vila Rica, atual cidade de Ouro Preto.

………………Foi justamente em Vila Rica que Tomás conheceu Maria Doroteia Joaquina de Seixas Brandão, a quem o poeta fez questão de chamar de Marília em seus poemas, daí o nome Marília de Dirceu. A jovem de apenas 16 anos cativou Tomás que também conquistou a sua atenção.

.

Retrato de como seria o rosto de Maria Doroteia

.

………………No tempo em que esteve em Minas Gerais Dirceu escrever as “Cartas Chilenas“, poema satírico supostamente escrito por Critilo que criticava o governo de Santiago no Chile. Na verdade os versos eram uma crítica voraz a Luís da Cunha Meneses, governador de Minas.

………………Depois que foi promovido desembargador da relação da Bahia, Tomás resolveu pedir Maria Doroteia em casamento. O poeta teve que enfrentar a oposição da família da moça já que era bem mais velho do que ela e pobre. Ainda assim o casamento foi marcado para o final do mês de maio de 1789.

.

Retrato do casal pouco antes do casamento

.

………………Por conta de sua atuação na Inconfidência Mineira Tomás foi acusado de conspiração e preso no mesmo ano, uma semana antes de seu casamento. Após três anos preso no Rio de Janeiro o poeta foi mandado para Moçambique, sendo separado para sempre da amada Maria Doroteia.

………………Durante o confinamento Dirceu escreveu a maior parte de suas liras destindas a Marília, liras essas que mais tarde foram lançadas em Lisboa como a primeira parte de Marília de Dirceu. Ainda em Moçambique Tomás conheceu Juliana de Sousa Mascarenhas, a filha de um rico comerciante de escravos (apesar de ser contra a escravidão). Os dois se casaram em 1793 e tiveram dois filhos.

.

.

………………Juliana era descrita como mulher de posses mas cultura pouco vasta. Em 1799 foi publicada a segunda parte de Marília de Dirceu e Tomás viveu bem por 15 anos até morrer em 1810 de uma grave doença. Mesmo após sua prisão e morte a jovem Maria Doroteia permaneceu solteira morrendo anos depois aos 87 anos de idade.

………………Até hoje Marília é vista como a “musa da Inconfidência” e sua história pode ser conhecida de perto no Museu em Minas Gerais. Já Dirceu, é conhecido como o principal nome do Arcadismo. Suas principais obras são: Tratado de Direito Natural; Marília de Dirceu e Cartas Chilenas.

………………Mas e você, o que achou da história??? Deixe o seu comentário.

Assuntos do Artigo:
  • a historia de amor de tomas antonio gonzaga e de sua mausa maria doroteia joaquina de seixas brandao
  • historia de marilia de dirceu

Comente Via FaceBook

Comentários


Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

  1. robson disse:

    é mais ele é o meu idolo.
    muito bom esta historia vou tentar ser um grade poetar tambem.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.